Como desenvolver um Funil de Vendas para o setor automobilístico?

Você já ouviu falar do Funil de Vendas? Esse é um conceito de marketing que pode ser aplicado nos mais diferentes setores, inclusive no ramo automobilístico.

De forma resumida, o Funil de Vendas consiste na representação gráfica da jornada de compras do cliente. 

Em outras palavras, é o caminho que o consumidor percorre, desde o descobrimento do produto ou serviço, até a etapa final, ou seja, a compra.

A partir do Funil de Vendas, é possível conduzir ou acompanhar o comprador, oferecendo materiais que vão ajudar na tomada de decisão. Assim, fica mais fácil oferecer soluções realmente interessantes aos clientes, de acordo com cada estágio da jornada de compra.

No artigo de hoje, saiba como desenvolver um Funil de Vendas para o setor automobilístico e alcançar um maior número de vendas!

Quais as etapas do Funil de Vendas?

O processo de compra não é algo homogêneo. Por exemplo, quando descobrimos pela primeira vez um tipo de vinho frutado, nem sempre vamos lá e já compramos o produto. 

Na maioria dos casos, fazemos uma pesquisa antes, para conhecer mais sobre a mercadoria e se ela irá corresponder ao nosso paladar.

O mesmo vale para o setor automobilístico – ainda mais quando estamos falando na aquisição de algum componente de alto valor, ou até mesmo a compra de um carro.

Nesse sentido, um cliente que acabou de descobrir o produto está menos propenso a comprá-lo, do que um consumidor que já leu avaliações do site, especificações da mercadoria e até já conhece o item.

Sendo assim, há níveis de maturidade dos compradores em relação ao fechamento do negócio. Esses momentos são divididos em partes dentro do Funil de Vendas, que são:

  • Topo do funil: descobrimento;
  • Meio do funil: consideração;
  • Fundo do funil: decisão de compra;
  • Pós-venda: fidelização.

Nem sempre todas as empresas trabalham com o pós-venda como etapa do funil, contudo, esse momento é muito importante para construir um relacionamento com o cliente, fazendo com que ele compre novamente e indique o seu negócio para outras pessoas.

Afinal de contas, quando procuramos por uma creche infantil particular, por exemplo, temos a tendência de seguir a recomendação de amigos e familiares. 

Ou seja, confiamos mais nas pessoas que tiveram uma boa experiência de compra.

E como trabalhar com o Funil de Vendas?

O primeiro passo para trabalhar com o Funil de Vendas no setor automobilístico é compreender quais são as necessidades do cliente em cada estágio da jornada de compra.

Abaixo, separamos algumas dicas, conforme as etapas do funil. Confira!

1 – Topo do funil

Como estamos lidando com o descobrimento do produto ou serviço pela primeira vez, é preciso oferecer ao público um grande número de informações acerca do seu negócio, para que ele compreenda mais sobre a empresa.

Por exemplo, se o consumidor está procurando um estampo de corte, vale a pena produzir blog posts, compartilhar materiais em redes sociais e produzir conteúdos atrativos que irão chamar a atenção do usuário.

No marketing digital, também é possível trabalhar com a otimização para os mecanismos de busca (SEO), fazendo com que o seu conteúdo ganhe melhor classificação no Google.

2 – Meio do funil

Aqui, o cliente já sabe do que a sua empresa trata, mas ainda está considerando a compra. 

Ou seja, ele precisa ser informado dos benefícios, vantagens e diferenciais do seu negócio, para que ele decida comprar com você e não com a concorrência.

Por exemplo, se o consumidor deseja um regador de plantas com cabo, a empresa pode elaborar um e-mail marketing com dicas de como usar o acessório em jardinagem.

No ramo automobilístico, é importante destacar o quanto o seu produto ou serviço irá facilitar a vida do cliente, seja como locomoção ou melhoramento dos veículos.

Além de e-mail marketing, é possível trabalhar com e-books, webinários, entre outros.

3 – Fundo de funil

Agora estamos lidando com leads qualificados, isto é, clientes altamente propensos a realizar uma compra. 

Por isso, é o momento de ser sincero, oferecer soluções de acordo com as necessidades dos consumidores e mostrar os diferenciais do seu negócio.

O conteúdo também é importante, mas vale priorizar o contato com vendedores, para que o cliente seja orientado à compra.

4 – Pós-venda

Por fim, após o fechamento do negócio, é preciso manter um contato com seus clientes. Isso pode ser feito de várias formas, como pedir um feedback, enviar e-mails exclusivos ou oferecer um clube de vantagens.

Conclusão

O Funil de Vendas pode ajudar bastante nas vendas do setor automobilístico. Quando bem aplicado, ele é capaz de orientar as decisões dos clientes, ajudando na conversão e melhorando o relacionamento entre a marca e o público.

Por isso, é fundamental compreender mais sobre o conceito e produzir estratégias voltadas a cada estágio do funil.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *